Baixar tarifa não resolve, é preciso quebrar oligopólio dos empresários de ônibus, por Marilena Chauí


FOTO DE PATRICIA SANTOS  MANIFESTANTE DURANTE A PRIVATIZACAO DA TELEBRAS

Após a reunião do Conselho da Cidade, a repórter Marilu Cabañas conversou com uma das conselheiras, a filósofa Marilena Chauí. Ela analisa o movimento que luta pela redução da tarifa do transporte público.

Para Chauí, “o que está acontecendo é um instante politicamente importantíssimo, no entanto, essas manifestaçoes sao uma operacao feita pela internet. O que carateriza uma convocatória, uma açao política desse tipo, é que ela é um evento, isso significa que ela é efêmera, ela não tem uma força organizativa. Ela é um acontecimento, mas ela não tem um caráter de movimento soical organizado em todos os setores da vida democrática. A minha impressao é que poderia ser um show, uma competicao esportiva ou uma manifestacao politica pela tarifa do transporte urbano. Ir para a rua a partir da sociedade de massa.

Alguém pensou em Tarifa Zero?

A reivindicação do Movimento Passe Livre de tarifa zero de ônibus em todo o Brasil já foi proposta em projeto de lei encaminhado à Câmara de São Paulo, pelo Executivo Municipal em 1990, na gestão da prefeitura Luiza Erundina. Para saber mais, ouça a entrevista com o secretário dos Transportes na época, o engenheiro Lúcio Gregori.

Publicado por

biavati

Sociólogo, escritor, palestrante e consultor em segurança no trânsito, promoção de saúde e juventude.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s