#narrativasdigitais

IMG_0166

Breves lições sobre a nova série “Cosmos: a spacetime odyssey” (National Geographic), por Garr Reynolds

FAÇA AS ESCOLHAS SOBRE O QUE INCLUIR E O QUE EXCLUIR  |  Não importa que você tenha 5 minutos ou 18, ou um dia inteiro para contar sua história, o tempo nunca será suficiente para dizer tudo o que você sabe ou para compartilhar tudo com o máximo de detalhes possível. O tempo pode ser um obstáculo mas também um grande facilitador, se você estiver disposto pensar e decidir sobre o que é o mais importante e o que é menos importante. O segredo está em saber o que deixar de fora. Não deturpe, oculte ou distorça a informação, nem embeleze estatísticas. Equilíbrio é a chave.

MOSTRE-LHES PORQUE A HISTÓRIA É IMPORTANTE  Demonstre claramente porque o seu assunto – ou resultado, causa, missão, etc. – importa. Qual é o grande panorama e nosso lugar nesse panorama? O elemento mais importante de uma narrativa, segundo Andrew Stanton da Pixar, é “faça-me importar” com essa história. Você deve fazer o público se importar com que está sendo mostrado e é seu trabalho fazê-lo saber exatamente porque ele deve se importar.

FALE VISUALMENTE  |  Falar visualmente não significa apenas fazer uso de gráficos, fotografias, vídeos, animações, e assim por diante . Significa também ajudar o público a “ver” suas idéias por meio de uma linguagem descritiva, utilizando exemplos concretos, e por meio do poder e simplicidade das metáforas.

APRESENTE COM UM ESPÍRITO DE CONTRIBUIÇÃO  |  Apresente sua história como uma oferta, não como uma verdade ou como toda a história. Em vez disso, diga “aqui está esse fato e esse outro e porque eles importam… eu acredito que sua vida pode ser transformada pela compreensão desses fatos”.

INCENDEIE A CURIOSIDADE E CONDUZA O PÚBLICO A UMA VIAGEM  |  Uma boa narrativa provoca a curiosidade e convida o público a se questionar na medida que a história progride. Conduza o público a  uma viagem que o faça elaborar suas próprias questões – e não tenha medo de deixar algumas (ou muitas) perguntas sem respostas. Por mais que você tenha pensado em uma história com uma conclusão e final claros, há uma infinidade de ângulos que jamais se poderá abarcar (se você realmente exercitou uma seleção intencional do que dizer para começo de conversa). Questões em aberto é o que nos movem para frente.

Michelin Best Driver 2014 – a conversa com os universitários

Em 2014, o Programa Michelin Best Driver, uma iniciativa inédita do Grupo Michelin, dirigido ao público jovem universitário, contou com a consultoria técnica do sociólogo e a participação em todos os talk-shows que percorreram 15 universidades em oito capitais do país.

O Programa Michelin Best Driver integrou o formato de palestras à dinâmica de uma competição pelo melhor comportamento no trânsito, medido objetivamente por tecnologia de telemetria instalada nos carros dos universitários. Mais do que o repasse de conhecimento, portanto, a experiência promoveu, de fato, a mudança real de condutas que puderam ser quantificadas e a multiplicação da idéia de que juntos podemos salvar milhões de vidas.

Nossa “Long Short walk” | em defesa da segurança dos pedestres

A Long Short walk é uma atividade divertida com um objetivo sério de promover a SEGURANÇA DOS PEDESTRES – tema da Semana Mundial de Segurança no Trânsito da ONU, de 6 a 13 de maio.

A ideia é simples: convocar pessoas para uma pequena caminhada, com cartazes dizendo ?Estou caminhando para/por… (complete com o motivo da sua caminhada ? p. ex. : ?…um trânsito mais humano/ respeito aos pedestres etc.?). Pode ser uma caminhada para a escola ou trabalho, o seu passeio favorito, ou ao comércio próximo.

Foi o que fizeram os alunos do 7o ano da Escola Benedito Mattarazo, da rede municipal de São José dos Campos/SP na tarde de 7 de maio. A escola é participante de um projeto sensacional de protagonismo para a segurança no trânsito (o “Escola Amiga do Trânsito”) da Prefeitura de São José dos Campos. Foi dia de caminhar para o auditório e assistir uma palestra sobre fragilidade do corpo, responsabilidades compartilhadas e ATITUDE, aprendendo a defender o direito `a vida.

© Eduardo Biavati e biavati.wordpress.com, 2008/2013.

Uso não autorizado e/ou publicação desse material, em qualquer meio, sem permissão expressa e escrita do autor do blog e/ou proprietário é estritamente proibida. Trechos e links podem ser utilizados, garantidos o crédito integral e claro a Eduardo Biavati e biavati.wordpress.com e o direcionamento apropriado e específico ao conteúdo original.

Licença Creative Commons
Esse trabalho está licenciado sob Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported License.

Vale por tudo

Olá Eduardo,

Tenho a imagem de sua primeira chegada em Jundiaí gravada na minha memória, como também boa parte da palestra que assisti. Desde então não deixei de observar o trânsito com suas sutilezas, principalmente sobre minhas as atitudes e procedimentos e das outras pessoas também. Pricipalmente eu nunca mais deixei de usar cinto no banco de trás rsr.

Acompanho algumas de suas postagens no Face, no blog e confesso: você é muito bom no que faz. Não só pelo seu jeito espontâneo e certeiro de falar com os ouvintes ou pelo conhecimento que tem e é notado a cada frase e exemplo, mas pela importância de seu trabalho para a vida das pessoas: crianças, jovens e adultos deste país.

Admiro você pela sua trajetória de vida profissional, pela sua insistente crença de que podemos mais na educação das crianças e jovens, e consequente diminuição de vítimas.

Tenho algumas pessoas que considero imprescindíveis para as mudanças deste país, que fui conhecendo no caminho dessa estrada da educação. Você certamente é uma dessas pessoas.

Parabéns pelo trabalho.

Parabéns pela palestra.

Parabéns pela dedicação.

Parabéns pela construção de tanto conhecimento e por seguir irrigando seus conhecimentos sobre segurança e cuidados de cada um.

Professora Claudete, Jundiaí, Março 2012

© Eduardo Biavati e biavati.wordpress.com, 2008/2013.

Uso não autorizado e/ou publicação desse material, em qualquer meio, sem permissão expressa e escrita do autor do blog e/ou proprietário é estritamente proibida. Trechos e links podem ser utilizados, garantidos o crédito integral e claro a Eduardo Biavati e biavati.wordpress.com e o direcionamento apropriado e específico ao conteúdo original.

Licença Creative Commons
Esse trabalho está licenciado sob Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported License.